4

Ginga com Tapioca

Sabe aquela mistura que combina perfeitamente? Este é o caso da Ginga com Tapioca, uma iguaria típica do Rio Grande do Norte e que se espalhou por alguns lugares do Brasil.

Considerado o Patrimônio Imaterial do Estado do Rio Grande do Norte, este prato tem origem indígena, mas considerado o Patrimônio Imaterial do Estado do Rio Grande do Norte, este prato tem origem indígena, mas é muito consumido nas praias de Natal. Saiba mais sobre a Ginga com Tapioca e como preparar em sua casa.

O que é Ginga

Ginga é o nome regional dado ao peixe da espécie Manjuba ou Manjubinha. Ele é muito parecido com a piaba e bem consumido em toda a região litorânea do Brasil. Tem cerca de 15 centímetros de comprimento e geralmente é servido assado na grelha ou na brasa.

A famosa Tapioca

Tapioca é outra iguaria nordestina que tem sua origem nas antigas civilizações indígenas dessa região brasileira e que se tornou uma grande referência da culinária regional do Brasil. A tapioca possui uma enorme fonte de energia sendo muito consumida em regimes alimentares como carboidrato.

A Mistura

Não se sabe ao certo quando e por qual tribo foi inventada a ginga com tapioca, mas todo potiguar lembra-se de saborear esse prato quando pequeno. Pesquisas em 2013 realizadas pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, a UFRN, através do seu departamento de nutrição constatou que a ginga com tapioca deve ser consumida com cautela devido o seu alto teor calórico.

Uma porção de ginga com tapioca tem cerca de 600 calorias então não deve ser comida em exageros. Médicos atestam que uma porção por pessoa é mais que suficiente. O problema é resistir à essa delicia, principalmente se você se encontra na Praia da Redinha, região Norte de Natal e que faz a melhor ginga com tapioca do estado.

Como fazer a Ginga com Tapioca

Preparar a ginga com tapioca é simples, mas você precisa ter cuidado principalmente na hora de fritar o peixe. Veja como fazer cada um deles separadamente.

  • Ginga: Você precisa tratar o peixe como outro qualquer e lavá-lo bem. Despeje pequenas quantidades em uma panela com azeite de dendê bem quente. Atente-se sempre sobre a fritura, pois o peixe fica pronto em poucos minutos. O ponto certo é quando ele fica bem crocante.
  • Tapioca: A tapioca deve ser feita em uma frigideira sem ondulações para que ela fique com a estrutura lisinha. Despeje uma colher grande de goma e espalhe com cuidado. Caso não tenha um talher desse tamanho, duas colheres de sopa é o suficiente. Não aperte a sua tapioca para que não queime. Deixe no fogo por aproximadamente 20 segundos e vire. Deixe a goma cozinhar também do outro lado e sirva.

Como a tapioca será servida com o peixe, não precisa passar manteiga ou colocar nenhum tipo de recheio. A goma de tapioca é facilmente encontrada nos supermercados do nordeste inteiro já peneirada e pronta para ir á frigideira. Caso você não encontre nessa forma, basta molhar a goma convencional, passar em uma peneira e colocar um pouco de sal.

foto-1-abertura-da-semana-do-meio-ambiente-parque-da-cidade-f-alex-regis-43-

Parque da Cidade

O Parque da Cidade Dom Nivaldo Monte projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer com a colaboração de Ana Niemeyer e Jair Varela e possui uma área de 136,54 hectares.

No Parque pode ser encontrado um Memorial, localizado no alto da Torre em formato de olho, biblioteca, Escola de Educação Ambiental, cinco trilhas pavimentadas e quatro trilhas naturais. Vale a pena subir na torre e curtir a belíssima vista panorâmica da cidade.

Forte-dos-Reis-Magos-Turismo-Hisotorico-em-Natal-RN

Forte dos Reis Magos

O Forte dos Reis Magos é uma edificação militar histórica localizada na cidade de Natal, no estado brasileiro do Rio Grande do Norte. É administrada pela Fundação José Augusto, fundação do Governo do Rio Grande do Norte.

O forte foi o marco inicial da cidade — fundado em 25 de dezembro de 1599 —, no lado direito da barra do rio Potengi (hoje próximo à Ponte Newton Navarro). Recebeu esse nome em função da data de início da sua construção, 6 de janeiro de 1598, dia de Reis pelo calendário católico.

cajueiro

O Maior Cajueiro do Mundo, em Pirangi

Localizado na Praia de Pirangi, no Litoral Sul, está um dos mais belos cartões postais do Estado, o Maior Cajueiro do Mundo, a 15 km do nosso hotel em Natal. A árvore ganhou destaque pelo seu tamanho, sendo registrada no livro dos recordes, o Guiness Book, em 1994. O cajueiro conta com aproximadamente 8.500 m² de copa, produzindo 70.000 frutas por safra, o equivalente a mais de 2 toneladas e meia.

Considerado um dos principais pontos turísticos entre as pessoas que visitam Natal, também conta com diversas lojas de artesanato da região ao seu redor, mirante com 10 metros de altura para tirar belas fotos e apreciar a beleza de toda a extensão da árvore e de parte da Praia de Pirangi, além de guias explicando a sua história.